Deus é poderoso para fazer tudo muito mais abundantemente além daquilo que pedimos ou pensamos, segundo o poder que em nós opera. (Ef. 3:20)

Essa verdade me anima, mesmo com temor e tremor, em virtude do tamanho da responsabilidade ao assumir a Superintendência da Igreja de Deus no Brasil com muita confiança e entusiasmo. Aqui nós somos desafiados a continuar marchando, como exército poderoso, em busca dos mais altos ideais da Igreja de Deus no Brasil e, consequentemente, do Reino de Deus.

Para levarmos a cabo a missão de Deus, é necessário que cada pastor, cada obreiro e cada membro do corpo de Cristo, que é a Igreja, seja um instrumento de bênçãos nas mãos de Deus, e que cada igreja e congregação opere como verdadeira agência missionária e transformadora, a partir do seu contexto sociopolítico e cultural.

Hoje nós temos á nossa disposição um arsenal de ferramentas, de métodos, de estratégias e de recursos humanos, que podem ser tremendamente úteis para o crescimento em todas as dimensões.

Em primeira a Timóteo 2:1, Paulo exorta o seu discípulo, Pastor Timóteo, que antes de tudo, se faça oração. Paulo está convicto que a oração é a maior arma que a igreja tem a sua disposição. De sorte que nós não devemos abrir mãos dos métodos e das estratégias que tanto têm sido úteis para a evangelização e expansão da igreja na pós-modernidade, porém a oração deve vir antes de tudo, ou seja, a oração deve estar antes, durante e depois. A oração deve permear todas as nossas atividades, para que nunca venha nos faltar o direcionamento do Espírito Santo.

Somente as chamas do avivamento, que vem de Deus, podem manter o entusiasmo evangelizador da igreja. A oração, porém, é o combustível que alimenta essas chamas.

Na primeira reunião do Conselho Executivo Nacional, que aconteceu nos dias 16, 17 e 18 de Janeiro, decidimos proclamar o mês de Fevereiro como um período de orações, no qual todo o ministério, e todas as nossas igrejas, devem dedicar um tempo especial orando por nossa denominação, seus projetos e seus desafios.

Assim, queremos pedir, respeitosamente, a todos os nossos pastores e pastoras, que envolvam as suas respectivas igrejas, e departamentos, nesse movimento que, sem sombra de dúvida, vai resultar em muitas bênçãos e vitórias.

ENTRAR